COM MAIS “GÁS” QUE O TRICOLOR, PALMEIRAS VAI A FINAL

palmeiras  

( foto do site globoesporte.com)

Aconteceu de tudo no clássico paulista disputado na tarde de ontem no Palestra Itália: teve frango, provocação, técnico passando mal, apagão, vestiário tóxico.

O jogo começou morno, a primeira jogada mais aguda só aconteceu aos 16 minutos, um chute forte de Adriano que foi pra fora. Parecia que o jogo seria tático e estudado, como o primeiro confronto, mas o cenário mudou graças a primeira “particularidade” das inúmeras que aconteceram no prélio, Léo Lima chutou forte da intermediária e, sem desvios, a bola foi para um lado e Rogério Ceni pro outro, 1 a 0 Palmeiras e um dos maiores frangos da história do goleiro. A partir daí o time da casa tomou conta do jogo graças a falta de organização do ataque Tricolor, que só criou mais uma jogada perigosa no primeiro tempo, um cruzamento de Jorge Wagner e cabeceio de Adriano, sempre ele, que bateu em Gustavo. No intervalo, que geralmente e obviamente é a parte mais desinteressante de uma partida de futebol, o São Paulo se deparou com um gás que impossibilitou a permanência do time no vestiário. O chefe do policiamento, Coronel Botelho, relatou que provavelmente o que aconteceu foi um torcedor que atirou um produto similar a um spray de pimenta no vestiário visitante. Quem conhece o estádio sabe que um dos maiores problemas do Palestra Itália é o acesso dos torcedores às janelas dos vestiários. O time do Morumbi foi obrigado a ficar no gramado no intervalo. Na etapa final Muricy sacou Dagoberto e colocou Borges para tentar ser mais incisivo. O tricolor, a cada minuto que passava era obrigado a se lançar mais ao ataque e acabava deixando muito espaço para o contra-ataque, ainda mais depois da expulsão de André Dias. E foi ele, o contra-ataque que decidiu a partida: Lenny que entrou no lugar de Alex Mineiro tocou para Wendel( no lugar de Kléber) que avançou e ficou cara a cara com Rogério Ceni, o camisa 13 só rolou para Valdívia matar o jogo aos 38 do segundo tempo. Na comemoração, Valdívia mandou o goleiro são paulino se calar. Antes mesmo da partida reiniciar após o gol, os refletores do estádio se apagaram e um princípio de tumulto se instalou. Só depois de 10 minutos a luz voltou e o jogo foi finalizado, ainda deu tempo de Martinez ser expulso no lado verde. 2 a 0 acabou sendo justo pela maior garra e vontade da equipe Alvi-verde nesse segundo jogo. Esse “gás” palmeirense fez o São Paulo voltar pra casa sem a vaga e sem banho após a partida. O Verdão enfrentará a Ponte Preta na decisão do Paulistão.

2 Respostas

  1. Pronto torcida palmeirense, o Luxa já ganhou a Copa Kaiser, ops, digo Campeonato Paulista, que ele ganha todo ano.

  2. Isso se ganhar neh amigo Eduardo.

    Nessa quarta ja tomo uma paulada do Sport! GRAANDE SPORT!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: