“GAROTA” ESPERTA

Madonna é consenso quando o assunto é resistência à passagem do tempo: a mulher já chegou à casa dos 50, e se mantém completamente antenada com o universo da música pop, e inteiraça fisicamente. Ou seja: não importa o que aconteça, ela está e estará nas paradas. Algo muito interessante, porque se por um lado provavelmente não lançará mais nada revolucionário e que choque as instituições e valores vigentes, como fez nos anos 80, por outro, não está simplesmente seguindo tendências, tem incorporado estilos ao seu próprio estilo, e com isso criado uma música com na pior da hipóteses, um mínimo de originalidade e qualidade, coisa rara no dial das rádios pop.

Em seu último disco, Confessions on a dance floor, Madonna decidiu que queria fazer músicas do estilo disco, gênero que marcou sua adolescência e seu início de carreira. O resultado daquele disco, pra mim, foi muito superior ao do anterior, o mal sucedido musicalmente, e comercialmente festejado Music. Agora a Sra. da música Pop surge com esse Hard Candy, de capa rosa, e sensualidade pra nenhuma ninfeta de 20 anos botar defeito.

Dessa vez, a esposa de Guy Ritchie decidiu que queria fazer Hip Hop (para mim, a luz vermelha piscou: ATENÇÃO! não sou dos maiores fãs desse estilo). Para isso, chamou os Tops of The pops Timbaland, Justin Timberlake e Kanye West para apoiá-la. O resultado ao contrário do que eu esperava, ficou acima das expectativas; percebe-se aqui um bom acatado de canções, a grande maioria influenciada ou feita com as batidas inconfundíveis de Timbaland, e a proclamada voz “sexy” (não sei quem foi o idiota que disse isso pela primeira vez) de Timberlake em algumas delas, como no primeiro single, “4 minutes”, que é boa, mas não é melhor que a parceria com Kanye West intitulada “Beat goes on”.

Abre-se aqui um parêntese. Esse disco comprova novamente a habilidade comercial de Madonna em se associar às estrelas do momento, e com isso, agregar valor comercial a ambas as partes. Houve um tempo em que foi interessante aparecer beijando Britney Spears, hoje, o importante é aparecer ao lado do antes idiota de boyband e agora “ultrasexy” Justin, e do midas Timbaland. Que Britney não espere um convite de parceria agora em seu momento de decadência; Madonna é Madonna, Madonna não é David Bowie. Outra: Kanye West é nada mais que o cara mais inspirado do Hip Hop comercial hoje, seu disco Graduation me convenceu disso. Fecha parêntese.

Apesar da influência Hip Hop, é difícil dizer que este é um album que entra para o hall do estilo, pois o que predomina no disco é o estilo de Madonna, ou seja, eletrônico e pop.

Para concluir, ouça: “Candy Shop”, “Heartbeat”, “She’s not me” e “Incredible”, além das já citadas “4 minutes” e “Beat goes on”

Madonna – “Hard Candy” – 2008

Fonte: foto de divulgação do disco

2 Respostas

  1. Po q legal cara , só que gostaria de saber mais como tá a vida da Madonna, será que ela vai voltar a fazer discos como na época dos anos 80 .Abraços aee

  2. Cara, sobre a vida da Madonna eu confesso que não tenho muita informação, pois me atenho ao aspecto musical de sua carreira, em especial nos discos. Agora quanto à possibilidade de que ela faça música extamente como nos anos 80, acho bem difícil, afinal de contas, o tempo passou, e já não dá para lançar coisas como “like a Virgin”. Mas se mantém o traço do estilo disco em seus álbuns. De novidade, só a possibilidade de que ela faça dois shows no Brasil ainda neste ano.

    Abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: