MOCOTÓ RESTAURANTE E CACHAÇARIA

 

mocoto

Ontem à noite fui jantar com minha namorada no Mocotó Restaurante e Cachaçaria,  na Zona Norte aqui de São Paulo. Confesso que apesar de ser descendente de nordestinos, nunca fui muito chegado à essa cozinha, por achar que a comida é pesada demais. Mas como a futura Sra. Lindolfo Roberto ficou interessada em conhecer o local após saber que meu primo, o gastrônomo Diógenes Sampaulo está trabalhando lá, decidi me deixar levar.

     Ao chegar nota-se um local simples e muito bem decorado, com forró tocando baixo nos alto-falantes, de forma agradável, bem ao gosto da cultura Nordestina. E o que me espantou foi saber que o Restaurante dispõe de 400 tipos de cachaça! Aí a discussão já passou para um outro nível. Soube também que o estabelecimento está aberto desde 1973, o que representa, no mínimo tradição.

     Logo o Mocotó estava conquistando minha simpatia. Mas faltava o mais importante: o que é um restaurante senão sua comida? Se a comida não agradar, de nada adianta ter um bom ambiente, penso eu. Pois bem, nos servimos de um escondidinho de carne seca acompanhados por arroz branco (a opção era o baião de dois) e frango; para beber, suco de abacaxi (a cachaça vai ficar pra próxima).

   Surpresa: A comida, indo na contramão de meu preconceito inicial, se provou extremamente saborosa. Capitaneada pelo chef Rodrigo Oliveira, a cozinha oferece deliciosas opções de saladas, sobremesas, entre outras delícias da mais tradicional cozinha nordestina.

   Resumo da ópera (ou do baião se preferir): eu e minha Sra. saímos de lá empanturrados de tantas delícias e com uma certeza: voltaremos ao Mocoto!  

Essa é a minha  dica para o fim de semana.

Clique aqui e acesse o site do Mocotó restaurante e cachaçaria

Av. Nossa Senhora do Loretto,1100, na Vila Medeiros, São Paulo

ESTRÉIA: WATCHMEN

 

watchmen1

Hoje estréia nos cinemas  Watchmen; a tão comentada adaptação de mesmo nome da genial HQ de Alan Moore (o mesmo criador de “A piada mortal” do Batman).  A história se passa nos EUA, em 1985, durante a guerra fria e em um contexto onde super heróis são comuns. O grande barato dessa história não são os super poderes, mas sim, os conflitos psicológicos e a abordagem adulta de problemas que os quadrinhos dos  heróis “convencionais” não costumam ter.

   Só para se ter uma idéia da importância de  Watchmen, basta citar que é a única HQ relacionada entre os 100 maiores romances desde 1923 da revista Time. É também a única graphic novel a vencer o Prémio Hugo de literatura, além de ter vencido vários prêmios Kirby e Eisner.

   O filme foi dirigido por Zack Snyder, o mesmo de “300″, e pra falar a verdade estou entre ansioso e desconfiado, pois pelo que deu pra ver nos trailers, o cara deu uma abordagem bastante blockbuster para a história. Em “300″ isso não atrapalhou em nada, mas vejamos como este fica.

 

Assista o trailer do filme:

ATÉ A GLOBO SE RENDE AO CORINGA

Esse vídeo eu tirei do blog Rádio Stcheraws. Ótima comparação que demonstra o quanto as novelas às vezes conseguem extrapolar na falta de originalidade.

JOGANDO COM A TEORIA DO CAOS

Da categoria jogos inúteis da net encontrei um nem tão inútil assim: Boomshine foi criado por Danny Miller que pretendia simular a teoria do caos e o  efeito em cadeia. Mas apesar das teorias o jogo não é nada complexo; a cada nível é pedido um determinado número de explosões, você só precisa escolher o melhor ponto da tela  para detonar a primeira explosão enquanto na tela bolinhas vagam em direções diferentes. A cada nova bolinha alacançada, uma nova explosão é criada. Começa fácil, mas até passar os 12 níveis, há uma boa dificuldade. A trilha sonora é classuda. Mas enche o saco depois de muito tempo. Joguinho divertido esse!

BAH, MAS TU PIROU O CABEÇÃO MESMO HEIN GURI?

Banda gaúcha quase conhecida em território nacional, e autora da canção “Melissa”, o Bidê ou Balde é a precursora do tipo de som que hoje é feito pelo Cachorro Grande e divulgado massivamente pela MTV.  Admito  que antes eu tinha um grande preconceito  com a banda, justamente por causa da já citada canção.  Mas o tempo passa, de repente me pego ouvindo empolgado “as cores bonitas”, embabascado com a beleza de “mesmo que mude”, com a bela participação da banda no acústico MTV bandas gaúchas, me tornando fã dos conterrâneos do Cachorro Grande  e volto atrás; tarefa árdua, vou atrás de um cd do Bidê ou balde.

Encontro o É preciso dar vazão aos sentimentos de 2004 que é um disco ótimo, uma verdadeira celebração ao amor e à união. Sem falar da versão original de “mesmo que mude” que é uma coisa louca de tão linda.  Mas eu quis pegar um momento anterior da banda, procurei então pelo disco de 2002, Outubro ou nada. Pronto. Encontrei uma jóia perdida do rock nacional.  Com exceção da canção de abertura ( Hollywood #52) que não me encantou muito, o disco é uma coisa assim, fantástica: da já conhecida do acústico “microondas”, passando pela bonita “adoro quandfo chove” (queria ser inglês, eu também), a  louca “A-há”,  e a mal-humorada “O antipático” é uma canção à parte.

Tem boas doses de mal comportamento,  bom humor, e rock n roll da melhor qualidade com letras em português. Banda fantástica essa.

www.bideoubalde.com.br/

A (NOVA) DESCOBERTA DOS BEATLES

(Bem, graças à Telefonica e seu maravilhoso serviço de banda larga em São Paulo, estou postando o conteúdo de quinta na sexta)

Coisa de louco terem encontrado uma fita com uma entrevista inédita dos Beatles agora hein? Até quando surgirão pequenas raridades dos rapazes de Liverpool? Desse jeito John e George não conseguirão dormir em paz com tanto barulho de moedas tilintando às custas do talento deles, é versão especial de tal filme, coletânea definitiva atrás de coletânea definitiva, biografias mil, canções que se sucedem aos milhares…

E a BBC exibiu orgulhosa a fita que arrematou a milhões de dólares. Tudo pela audiência, ou tributo aos caras que mais fizeram pela Inglaterra (e musicalmente pelo mundo) até hoje?

Sem dúvida que se trata simplesmente da melhor banda de todos os tempos. Os imortais da música mundial. Mas calma lá, Beatles é mais que o produto, Beatles é mais que isso.

DESENCANNES

Bem, se você não tem pra onde ir no fim de semana, mas curte publicidade e suas “geniais” idéias, se você é como a maioria de nós, viciado em comunicação (e até dá umas risadas de vez em quando), que tal dar uma olhadinha no Desencannes?

Aqui vieram parar idéias maravilhosas que não passaram da sala de reunião, mas que de tão boas não podiam cair no vazio, como se nem tivessem vindo ao mundo, sob uma luzinha de inspiração perversa.

Com o slogan “as pérolas da propaganda que não chegam nem ao atendimento”, o site se mostra muito estruturado , com direito até a festival!

Visite e veja essa e outras pérolas.