BAH, MAS TU PIROU O CABEÇÃO MESMO HEIN GURI?

Banda gaúcha quase conhecida em território nacional, e autora da canção “Melissa”, o Bidê ou Balde é a precursora do tipo de som que hoje é feito pelo Cachorro Grande e divulgado massivamente pela MTV.  Admito  que antes eu tinha um grande preconceito  com a banda, justamente por causa da já citada canção.  Mas o tempo passa, de repente me pego ouvindo empolgado “as cores bonitas”, embabascado com a beleza de “mesmo que mude”, com a bela participação da banda no acústico MTV bandas gaúchas, me tornando fã dos conterrâneos do Cachorro Grande  e volto atrás; tarefa árdua, vou atrás de um cd do Bidê ou balde.

Encontro o É preciso dar vazão aos sentimentos de 2004 que é um disco ótimo, uma verdadeira celebração ao amor e à união. Sem falar da versão original de “mesmo que mude” que é uma coisa louca de tão linda.  Mas eu quis pegar um momento anterior da banda, procurei então pelo disco de 2002, Outubro ou nada. Pronto. Encontrei uma jóia perdida do rock nacional.  Com exceção da canção de abertura ( Hollywood #52) que não me encantou muito, o disco é uma coisa assim, fantástica: da já conhecida do acústico “microondas”, passando pela bonita “adoro quandfo chove” (queria ser inglês, eu também), a  louca “A-há”,  e a mal-humorada “O antipático” é uma canção à parte.

Tem boas doses de mal comportamento,  bom humor, e rock n roll da melhor qualidade com letras em português. Banda fantástica essa.

www.bideoubalde.com.br/

A (NOVA) DESCOBERTA DOS BEATLES

(Bem, graças à Telefonica e seu maravilhoso serviço de banda larga em São Paulo, estou postando o conteúdo de quinta na sexta)

Coisa de louco terem encontrado uma fita com uma entrevista inédita dos Beatles agora hein? Até quando surgirão pequenas raridades dos rapazes de Liverpool? Desse jeito John e George não conseguirão dormir em paz com tanto barulho de moedas tilintando às custas do talento deles, é versão especial de tal filme, coletânea definitiva atrás de coletânea definitiva, biografias mil, canções que se sucedem aos milhares…

E a BBC exibiu orgulhosa a fita que arrematou a milhões de dólares. Tudo pela audiência, ou tributo aos caras que mais fizeram pela Inglaterra (e musicalmente pelo mundo) até hoje?

Sem dúvida que se trata simplesmente da melhor banda de todos os tempos. Os imortais da música mundial. Mas calma lá, Beatles é mais que o produto, Beatles é mais que isso.

TOP 10 PARA CHUTAR O BALDE

Seguindo o exemplo dos dias dos namorados decidi listar as 10 melhores músicas para se chutar o balde nos mais diversos âmbitos da vida, para fazer a trilha sonora de momentos inesquecíveis:

1- “O raio que o parta” – Superguidis

2- “As próximas horas serão muito boas” – Cachorro Grande

3- “Fale mal de mim” – Autoramas

4- “Meu pau é maior que o seu” – Banzé

5- “Cala a boca” – Inocentes

6- “Senhor F” – Os Mutantes

7- “Carro Bomba” – Dance of days

8- ” A arte do insulto” – Matanza

9- “32 dentes” – Titãs

10- “Sogra boa é aquela com a boca de aranha” – Rockassetes

Ficaram de fora só por falta de espaço…

“Jorge Maravilha” – Chico Buarque

“Uma emenda constitucional muito louca de verão” – Serginho Moreira

Se você discorda, acha que isso é uma tremenda babaquice, ou pensa que eu sou um mané que não tem outra coisa pra fazer, comente!

SOBRE GAROTAS, DISCOS E O TÊNIS VERMELHO

Britpop, rock sessentista e amores adolescentes se encontram nas belas canções em português de Sobre garotas, discos e o tênis vermelho, da banda Rockassetes. A banda não é de todo nova: já está há algum tempo tocando pelo Brasil para o público alternativo e fazendo esporádicas aparições na MTV.

As novidades aqui são as canções novas e o tratamento dado às antigas, como “flechas” e “sogra boa é aquela com a boca de aranha”. Das novas, a que me de deixou com uma ótima sensação de que ainda existem coisas muito boas ainda por estas paragens é “os discos que você falou”. Que beleza de canção:

“Estou escutando aqueles discos que você falou/ mas todas as músicas me lembram como me deixou/Já não adianta ir ao cinema pra me distrair/ cenas de um romance só me lembram como me senti”

O mais legal é notar a qualidade das melodias, os backing vocals como só quem ouviu devidamente os Beatles conseguem fazer (exagero, mas ainda assim), o contrabaixo que faz toda a diferença, e todo um conjunto de pequenos detalhes que, salvo exceções, só bandas independentes conseguem.

E além disso tudo a banda ainda disponibiliza algumas canções do álbum para download em seu site. Viva! Viva! Viva!

http://www.rockassetes.mus.br/

TOP 10 DO DIA DOS NAMORADOS

Brega, cafona (putz, essa é velha), água-com-áçucar… Todos esses adjetivos são válidos para classificar as pérolas que serão listadas a seguir. Mas, quem sabe, você é um reacionário… daqueles que ainda curtem uma serenata na janela… Aí, uma dessas músicas podem ser uma boa pedida….

Bem, vamos a lista:

10 – Always on my Mind – Roberto Justus (hehehehehe)

9 – I Want it That Way – Backstreet Boys 

8 – Unchained Melody – Righteous Brothers (filme Ghost)

7 – Hello – Lionel Richie

6 – I Don´t Wanna Miss a Thing – Aerosmith

5 – I´ll Be There for You – Bon Jovi

4 – Have You Ever Really Loves a Woman – Bryan Adams

3 – I Just Called to Say I Love You – Stevie Wonder

2 – Cosas de la Vida – Eros Ramazzotti

1 – When a Man Loves a Woman – Michael Bolton

Se você descorda da lista ou se lembra de outras músicas (a memória já não funciona muito bem…), ou ficou puto com o meu post, fique a vontade para deixar um comentário…

Ah, se você for diabético: cuidado com tanto açucar!!! 

ALTA FIDELIDADE

(Como hoje é dia dos Namorados, falemos sobre relacionamentos)

Nick Hornby fala sobre aquilo que carregamos a vida inteira conosco. Sobre certas paixões que mesmo nos decepcionando às vezes, criando certos problemas com as pessoas que amamos, não deixamos para trás. O princípio da fidelidade, que mesmo após termos decepções faz com que tenhamos vontade de continuar, de manter a fé em nossos ideais, que não abramos mão de nossos gostos, que procuremos dar a volta por cima.

Rob Fleming é um trintão dono de uma loja de discos e acaba de levar um pé na bunda de sua amada Laura. Rob não sabe o que fazer: para ele tudo sempre esteve muito bem, a vida era criar listas musicais com seus amigos na loja e sacanear seus clientes. Mas quando Laura vai embora, ele precisa rever seu modo de vida: E assim faz uma viagem  voltando à sua infância, passando, por decepções em sua adolescência, na faculdade e também já na fase adulta, visitando ex-namoradas e se purgando de seus erros, até encontrar a redenção e ser aceito novamente por Laura.

A história é claramente influenciada pelo estilo de vida de uma geração que cresceu ouvindo Rock n’ Roll no último volume. O filme inspirado no livro também saiu bem legal, mesmo com a adaptação do nome do personagem para Rob Gordon, o que ficou meio estranho. De qualquer forma, a interpretação de John Cusack compensa pequenos deslizes na dapatação do texto para as telas.

Se Alta Fidelidade despertou seu interesse, leia primeiro ler o livro e depois veja o filme.

Fonte: foto retirada do site http://www.markadiabo.com/cinema_tv/200_alta-fidelidade.jpgemos

JOÃO BRASIL E SEUS 8 HITS

“Baranga/ cheia de marra/ cintura de ovo/ pega quem quiser, mas tem que chegar”. Pois é, camaradas, você deve se lembrar desse refrão que tocou insistentemente no finado programa Mucho Macho da MTV. Talvez se lembrem, ou conheçam a própria figura de João Brasil, o autor e intérprete da pérola. Agora com um visual um pouco mais brega e trash do que antes ele lança pela gravadora Som Livre o disco João Brasil e seus 8 Hits. O álbum, além da já estourada Baranga, tem em suas faixas outras músicas já conhecidas pra quem acompanhava a carreira desse carioca: Pau Molão e Cobrinha Fanfarrona são alguns exemplos…

 

Vale a pena conferir alguns exemplos no site My Space:

http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendID=106674565

A página está bem legal, e conta inclusive com o recém lançado clipe de Baranga.

Diversão garantida em cada faixa, em um formato pra lá de interessante!