ESTRÉIA: WATCHMEN

 

watchmen1

Hoje estréia nos cinemas  Watchmen; a tão comentada adaptação de mesmo nome da genial HQ de Alan Moore (o mesmo criador de “A piada mortal” do Batman).  A história se passa nos EUA, em 1985, durante a guerra fria e em um contexto onde super heróis são comuns. O grande barato dessa história não são os super poderes, mas sim, os conflitos psicológicos e a abordagem adulta de problemas que os quadrinhos dos  heróis “convencionais” não costumam ter.

   Só para se ter uma idéia da importância de  Watchmen, basta citar que é a única HQ relacionada entre os 100 maiores romances desde 1923 da revista Time. É também a única graphic novel a vencer o Prémio Hugo de literatura, além de ter vencido vários prêmios Kirby e Eisner.

   O filme foi dirigido por Zack Snyder, o mesmo de “300″, e pra falar a verdade estou entre ansioso e desconfiado, pois pelo que deu pra ver nos trailers, o cara deu uma abordagem bastante blockbuster para a história. Em “300″ isso não atrapalhou em nada, mas vejamos como este fica.

 

Assista o trailer do filme:

Anúncios

ATÉ A GLOBO SE RENDE AO CORINGA

Esse vídeo eu tirei do blog Rádio Stcheraws. Ótima comparação que demonstra o quanto as novelas às vezes conseguem extrapolar na falta de originalidade.

The Spartans

Eu estava meio afastado do blog, mas agora voltei e com um filme muito engraçado.

Meet The Spartans ou Os Espartalhões, tradução que fizeram do nome, é nada mais nada menos do que uma sátira de 300.

O filme é muito engraçado vale a pena dar uma assistida e muitas risadas com ele.

O filme é dirigido por Jason Friedberg e Aaron Seltzer e traz em seu elenco nomes como Carmen Electra e Kevin Sorbo, do seriado Hércules.

O JOGADOR

Estreou ontem a nova temporada de “O Jogador” na rede Record de televisão. Nesse ano não teve nada tão tonto quanto o “Simple Life” para suceder as noites deixadas por Roberto Justus ao fim de “O Aprendiz”. Bem, eu não tinha visto o programa da outra vez que passou, mas pelo que eu vi dessa estréia, não é tããão mau assim.

Lógico, se trata de um programa de Quiz, o que garante a (quase) total ausência de originalidade, mas tá valendo, só de ter a Ana Hickmann apresentando, já vale um desconto. E os dois finalistas ainda prometeram converter o possível valor ganho para a caridade.

É isso aí, um pouco de função social às vezes não faz mal.

FONTE: Imagem retirada de yr.updateordie.com/updates/assessoria-yr/page/4/

WALL-E

É, quem diria na época que Toy Story deflagaria o rompimento da fronteira que separaria adultos da crianças nas filas de cinema… Pois é, depois que se adotou a computação gráfica como forma de se fazer desenhos animados, os roteiros distanciados (nem sempre) da “pequena sereia, as tiradas engraçadas que fazem todos, de 8 a 80 rolarem de rir, nunca mais o mundo dos desenhos foi o mesmo. Vamos lá, tem espaço para todo mundo: Família de super heróis, ogros, monstros de armário, carros, galinhas, Rato cozinheiro, esquilo glacial, pombos militares, peixes palhaços, formigas, pinguim surfista, abelha rebelde, putz, tanta coisa (comentem, eu não vou conseguir lembrar de tudo que já foi feito)…

Bem, como estão previstos muitos, porrilhões de novas animações das marcas Disney, Pixar, Dreamworks e afinidades de estúdios e produtoras para os próximos semestres, vou me ater apenas ao lançamento DESTA semana, WALL-E.

WALL-E é um robô que limpa a terra. A futurista terra do ano de 2007, inabitrável devido a seu excesso de lixo. Nesse futuro nem os humanos mais frequentam a terra, pois moram em uma nave chamada Axiom. É quando o robozinho simpático tem a oportunidade de conhecer os humanos. Aí começa a ventura.

Sinopse feita, é válido notar a questão ambiental aí retratada. É interessante notar como agora nós vemos tantas empresas, orgãos, estúdios, emissoras falando sobre a preservação do planeta. Será só para manter o rótulo de responsabilidade ambiental? Será que estamos fazendo algo realmente ou só falando sobre a importância de se fazer algo? Será que as crianças (e seus pais) sairão do cinema pensando de forma diferente e evitando jogar lixo pela janela do carro?

Por enquanto basta esperar que o filme seja bom, e evitar jogar pipoca no chão quando sair da sala de cinema (entre várias outras “pequenas” medidas, é claro).

Lá dentro tem quem limpe. Lá fora, nem sempre.

Fonte: imagem retirada do site http://somethingaboutfilm.files.wordpress.com/2008/03/walle.jpg

CONTROL

O Joy Division foi a banda maior do movimento pós punk, que se deu na Inglaterra no final dos anos 70, quando o Punk já entrava em declínio. Neste estilo o que percebemos é mais a expressão existencialista do que a expressão social tratada por The Clash e Sex Pistols, entre outras grandes bandas do estilo. Quando surgem bandas como Bauhaus, Sisters of Mercy e o próprio Joy Divison, o que se percebe é muito mais uma dor, um sentimento de inadequação em relação às outras pessoas e ao mundo em que se vive. Isso é o pós punk.

Tudo isso para falar de Control, um filme-biografia de Ian Curtis. O homem pálido que cantava com voz grossa “looove, looove will tear us apart agaain…” e que gravou essa canção na história do rock n’ roll para sempre. Ian Curtis foi o líder da banda, atormentado por um casamento precoce e pela culpa da traição de sua mulher, numa Manchester Fria e escura. Industrializada.

Anton Corbijn dirigiu Control e fez o filme em preto e Branco, e a escolha se mostrou mais do que acertada, retratando com profundidade o desespero de Ian Curtis, desespero este que permitiu que compusesse as mais belas canções daqueles anos, mas que também o levou ao suicídio, interrompendo de forma trágica o caminho de uma das mais geniais trajetórias do rock n’ roll.

Depois disso, seus companheiros de banda ainda formaram o New Order, o que é outra história, e mais recentemente percebemos que surgiram toneladas de bandas inspiradas em Joy Division, sendo a mais inspirada o Interpol e a mais chupada o She Wants Revenge. Mas o momento congelado da virada está aqui, reproduzido em Control.

O filme está em cartaz no HSBC Belas Artes, na Consolação. Em São Paulo.

NARUTO

Bom não vou falar sobre nenhum lançamento nem sobre algum filme bom que está no cinema, mas sim de uma coisa que gosto desde que nasci, Anime (animações de desenhos no estilo japonês).

Hoje em especial vou falar de um que está bombando no momento, Naruto.

O anime conta história de um garoto em sua jornada para se tornar um ninja respeitado e muito conhecido, mas que durante esta jornada enfrenta os problemas de abrigar um demonio em seu corpo e superar as suas dificuldades. Naruto é um anime muito divertido pois a história é muito boa e engraçada, é um anime de ação, o que faz com que muitos garotos gostem pois tem muitas lutas e poderes especiais.

Eu gosto bastante deste anime, para quem quiser assistir Naruto está sendo transmitido pelo canal Cartoon Network, mas quem gostar de ver o desenho original com as vozes originais dos personagens e com legendas em português é só baixar os EPs no site NarutoProject onde tem muitas informações sobre a série e os episódios da nova temporada de Naruto o Naruto Shippuuden, que é a história após os 3 anos de treinamento de Naruto com Jiraya (não é o mesmo da espada olimpica).

Nesta nova série Naruto ja esta muito mais forte mas continua, como sempre, com um temperamento explosivo . Nesta temporada novos personagens são colocados na história e muitas coisas engraçadas tambem são colocadas junto com estes personagens. Como a anterior tem muita ação e para quem gosta de poderes, muitos golpes novos para os personagens.

Vale muito a pena ver.